7 aplicativos para professores que você precisa fazer dowload já

Cada vez mais a tecnologia tem proporcionado incríveis ferramentas de grande importância para o âmbito educacional. E, quando se trata do setor pedagógico, os aplicativos para professores se destacam por suas inúmeras funcionalidades.

Entre esses recursos, encontram-se possibilidades de disponibilizar material de aula em formatos digitais, comunicar-se e interagir com pais e alunos, ferramentas de organização de tarefas, além de aplicativos inspiradores, para que os educadores levem cada vez mais conteúdos incríveis para a sala de aula.

Neste post, selecionamos 7 aplicativos que todo professor deve ter à disposição para elevar o nível de suas aulas e a interação com os alunos. Confira!

1. Educreations: organizando suas turmas

Esse aplicativo é a evolução da lousa! Em vez de gastar canetas, ou até mesmo giz, você pode fazer tudo nele, de preferência no tablet.

O Educreations reproduz, em tempo real, nos outros dispositivos conectados a ele, no caso, smartphones e tablets dos alunos, todo o conteúdo escrito pelo professor.

2. Podcast: seu conteúdo nos ouvidos deles

Como o próprio nome sugere, esse aplicativo reúne uma série de podcasts sobre os mais variados temas. Nele, você pode gravar o seu próprio, com dados sobre aulas, explicações sobre disciplinas e o que mais quiser.

Além disso, se preferir, pode recomendar outros podcasts com temas relacionados ao conteúdo lecionado, para que os alunos escutem.

3. TED: inspiração para educadores

O TED é uma plataforma online que contém uma série de conteúdos em vídeo, como palestras e apresentações das mentes mais brilhantes, empreendedoras e inovadoras do mundo.

É um ótimo recurso para que você se inspire em trabalhos relevantes para a humanidade, além de poder recomendar alguns desses conteúdos aos alunos.

4. Attendance: chamadas sem papéis

Esse aplicativo tem uma função simples e bem definida: controlar as chamadas dos alunos. Nele, você pode controlar as faltas e presenças em cada uma das turmas, além de obter estatísticas baseadas nisso.

O destaque é justamente para professores que têm muitos alunos, e claro, a funcionalidade de ter essa listagem na palma da mão, dispensando papéis e pastas com as chamadas.

5. Remind: o caderno de recados digital

É muito comum, principalmente na educação infantil e no ensino fundamental, que os alunos possuam um caderno de recados, que funciona como um meio de comunicação entre professores e pais.

O Remind faz exatamente esse papel, só que com muito mais dinamismo, agilidade, funcionalidade e, claro, na palma da mão. A comunicação com os pais é feita de forma privada, pois o aplicativo não revela o número de telefone de quem enviou. Basta que o professor se identifique na mensagem.

6. TeacherKit: líder entre aplicativos para professores

Esse aplicativo é o mais completo e detalhado da categoria de gerenciadores para professores. Oferece incríveis e completos recursos de controle de turmas e dados dos estudantes.

Com ele, além de acompanhar notas e frequência, você tem estudos detalhados de comportamento do aluno e como tem sido seu desenvolvimento acerca do conteúdo lecionado.

7. Math Formulas: uma ajudinha extra aos alunos

Esse aplicativo fica como uma boa recomendação e fonte de pesquisa aos estudantes. Como o próprio nome sugere, reúne uma série de fórmulas que o aluno necessita no dia a dia.

Além disso, também pode ser muito útil ao professor. Afinal, são tantos dados e conteúdos que uma fórmula ou outra pode acabar fugindo da memória.

A tecnologia tem papel fundamental em nossas vidas, especialmente no âmbito profissional. Os professores que fazem uso com esses fins têm ótimas ferramentas à disposição. Gostou de conhecer esses aplicativos para professores? Sentiu falta de algum? Então faça seu comentário!

Saiba como envolver os pais no aprendizado infantil

Quando o assunto é desenvolver as crianças e focar no aprendizado infantil, não há como fugir: a escola e os pais são os principais responsáveis. Por melhor que um dos lados funcione, os resultados são muito mais eficientes quando eles trabalham de forma conjunta.

Ainda assim, fazer com que eles caminhem juntos pode ser um verdadeiro desafio — ainda mais em um mundo cada vez mais corrido. Por isso, levantamos neste post algumas maneiras eficientes de envolver os pais nesse sentido. 

Ficou curioso? Então continue a leitura!

Agende reuniões de tempos em tempos

As reuniões na escola não são nenhuma novidade, mas é muito importante engajar os pais nessa rotina pedagógica. Para isso, torne o momento rico em informações e faça com que eles sintam que perdem muito quando não participam.

Além do tradicional report, uma boa medida é criar uma data fixa para que os pais possam pontuar o que considerarem necessário e andarem ainda mais próximos da instituição de ensino.

Realize eventos familiares

Trazer os pais e as famílias para a escola é outro ponto importante — e os eventos representam uma oportunidade incrível! Portanto, tenha feiras de livro, festas sazonais, confraternizações familiares e aproveite as datas festivas.

Essa é uma ótima maneira de reunir a todos em um mesmo ambiente, aproximar professores dos pais e fazer com que eles entendam a rotina dos filhos. Isso sem contar que os pequenos costumam adorar mostrar tudo!

Faça com que participem das tarefas para casa

As tarefas para casa também podem servir como aproximação dos pais, pois algumas delas devem ser feitas com a ajuda ou supervisão deles. Seja no recorte, colagem, entrevista ou qualquer outra atividade conjunta, o importante é fazer com que eles participem.

Essa é uma maneira de fazer com que percebam alguma dificuldade, ajudem os pequenos e criem laços ainda mais fortes. E tem mais: assim eles ficam sabendo o que os filhos estão aprendendo.

Faça entrevistas com os dois grupos

Conhecer para quem se trabalha é um grande direcionador para um aprendizado infantil mais eficaz. Portanto, entreviste cada um deles e entenda mais sobre o interesse e compreensão de cada um.

Essa é a melhor maneira de direcionar as ações, criar uma parceria ainda mais efetiva e conhecer seu público. Toda criança tem um potencial e saber qual é pode significar uma oportunidade de acelerar e trazer resultados melhores, pois a criança presta muito mais atenção no que está sendo compartilhado.

Explore a tecnologia

Estar nas redes sociais é uma ótima maneira para divulgar e se comunicar com as pessoas — incluindo os pais dos alunos. Somado a isso, as escolas de hoje podem investir em outros caminhos, como um aplicativo móvel ou outras plataformas.

Essa é uma forma de fazer com que professores e pais estejam mais alinhados, trazendo facilidade na hora de difundir uma educação de qualidade e trocar informações.

Agora que você entende melhor como envolver os pais no aprendizado infantil, não deixe de colocar essas dicas em prática e colher os resultados de forma rápida e consistente. Você vai perceber que assim fica bem mais fácil ajudar os alunos em seus progressos.

E você, conhece alguma outra maneira eficiente de fazer isso? Compartilhe no espaço abaixo e ajude outras pessoas também! 

3 atividades para um primeiro dia de aula surpreendente

O primeiro dia de aula tem grande significado para os alunos, pois é nesse momento em que há o contato inicial entre os estudantes e os professores. Portanto, preparar atividades para essa ocasião é fundamental!

Essas brincadeiras devem estimular a criatividade dos estudantes, de modo que eles não se sintam tímidos, se apresentem para a classe e comecem a se enturmar.

É importante propor atividades que fujam do comum e que surpreendam os alunos, despertando neles o interesse em conhecer seus colegas de classe e professores naquele momento.

Acompanhe o post a seguir e confira 3 atividades para o primeiro dia de aula que propiciarão um momento surpreendente e muito proveitoso! Vamos lá?

1. “Que música é você?”: diversidade e personalidade

Essa é uma ótima atividade para ser feita com os alunos mais velhos, que já estão no ensino médio e querem demonstrar a sua personalidade e as suas preferências — seja quanto ao gênero musical ou a qualquer outro segmento.

O professor deve iniciar a tarefa informando que cada um precisa escolher o trecho de uma música que o represente ou que diga algo sobre ele. Em seguida, em ordem alfabética, pedir que cada estudante cante o trecho.

Na sequência, o professor deve questionar ao restante da turma o que eles sabem sobre aquela música, se gostam ou não e o que pensam que ela significa para quem a escolheu.

Por fim, os estudantes devem montar um mural em que cada um escreve à mão seu trecho. A atividade mostra a diversidade da turma e permite que eles se expressem por meio da música, a qual é uma importante manifestação artística.

2. Linha do tempo: diversão com fotos antigas

Atividade voltada para os alunos do ensino fundamental, a linha do tempo é ótima para estimular que os estudantes conheçam melhor seus colegas de classe de forma divertida e em formato de um jogo.

A escola deve pedir, antecipadamente, que cada aluno leve três fotos suas para o primeiro dia de aula: uma dele bebê, outra um pouco mais velho e uma atual. No dia da atividade, a professora recolhe as duas primeiras fotos de cada um.

A brincadeira consiste em apresentar as duas primeiras fotos para que os alunos tentem adivinhar quem é o colega. Posteriormente, o professor deve montar um mural com as fotos de cada estudante.

3. Mural das férias: exercício da expressão

Ideal para crianças da educação infantil, essa brincadeira estimula a capacidade de se expressar e relatar fatos e memórias importantes, verbalizando suas opiniões sobre o que estão falando.

Cada um deve receber uma folha para que escrevam e desenhem sobre suas férias, dizendo para onde foram, o que fizeram e o que mais e menos gostaram durante o período. Essas folhas serão coladas em um mural.

Feito isso, a professora pedirá que cada aluno se apresente e conte para toda a turma sua experiência relatada na folha, a fim de que a brincadeira aumente os níveis de interação entre os colegas de classe.

É sempre necessário fugir do comum e propor novas maneiras de os alunos se conectarem e se conhecerem melhor durante as atividades para o primeiro dia de aula.

Agora que você já sabe como surpreender os estudantes, curta a nossa página no Facebook e não perca conteúdos como este!

Volta às aulas: como se preparar para receber os alunos?

As férias estão terminando e vai chegando a hora de receber os alunos novamente. Esse é um bom momento para rever algumas práticas educativas e optar por estratégias pedagógicas que revolucionem e inspirem mudanças na sala de aula.

A escola, então, inicia os preparativos para o segundo semestre letivo. Os alunos também devem ficar atentos e planejar métodos melhores para corrigir erros cometidos no semestre anterior.

E o professor? Este tem um papel fundamental no planejamento das atividades. Portanto, preparamos algumas dicas que serão indispensáveis para uma volta às aulas especial e com ideias inovadoras. Confira!

Trabalhe com a realidade do aluno

É fato que ensinar, nos dias atuais, é um grande desafio. Os avanços tecnológicos estão cada vez mais presentes na vida do estudante e o professor precisa acompanhá-los também.

Utilize as ferramentas que seus alunos têm contato — redes sociais, jogos, aplicativos etc. — e desenvolva projetos criativos e divertidos que chamarão a atenção deles. Uma aula monótona e mecânica, em que o professor fique o tempo todo no livro didático, não é mais a realidade da geração do século XXI.

Seja produtivo

A desmotivação ou a incapacidade de alcançar bons resultados levam o professor a ter uma baixa produtividade no trabalho. Procure fazer um planejamento do seu tempo, dê uma aula mais dinâmica e, claro, esteja sempre se atualizando.

É importante a busca diária de instrução e estudo, pois a falta de qualificação faz com que você se sinta incapaz de ser produtivo.

Não lecione apenas dentro da sala de aula

Explore outros ambientes com seus alunos. Promova atividades em lugares diferentes para ampliar o conhecimento adquirido. É importante diversificar a rotina da escola e levá-los para outra realidade.

Vivenciar o conhecimento é a melhor forma de aprender, além de despertar a atenção do estudante devido à mudança de ambiente.

Mantenha um diálogo aberto com seus alunos

Os discentes que são ouvidos pelos professores tendem a ficar mais confiantes e satisfeitos com as aulas. Eles gostam de atenção e de espaço. Portanto, saiba ouvir seus alunos e peça opinião sobre as aulas. Desafie-os, debata com eles e respeite seus limites.

Transforme-os em produtores 

Em meio a tanta tecnologia ao alcance dos alunos, porque não utilizá-la a favor do ensino? Já se sabe que lutar contra os avanços tecnológicos não é uma boa opção, pois essa geração já nasceu conectada ao mundo virtual. Basta aos professores fazerem um bom uso dos recursos tecnológicos.

Ensine os estudantes a serem produtores. Mas como? Dê ideias de criar um blog, um filme ou um vídeo, pois são produções que não serão apagadas ou jogadas fora, como acontece com o papel. Essas atividades ficarão registradas e poderão ser compartilhadas com outras pessoas, dando orgulho aos alunos.

Estude e aprenda novas tecnologias

Dê continuidade a sua carreira capacitando-se cada vez mais. Além de oferecer mais conhecimento e um ensino inovador a seus alunos, você investirá na sua própria vida profissional.

Mesmo que não tenha tempo para estudar, existem especializações semipresenciais em que você precisa ir a um polo físico apenas uma vez ao mês. Não seria uma boa opção? Invista, cada vez mais, em sua carreira e ofereça a seus alunos metodologias novas e eficazes. 

Agora que você conferiu essas dicas para ter uma volta às aulas diferente e cheia de novidades, curta a nossa página no Facebook e acompanhe mais conteúdos exclusivos!

 

Como elaborar um plano de aula de sucesso em 3 passos

Todo educador reflete a respeito de seus métodos pedagógicos. Afinal, como atrair a atenção dos alunos e fazer com que eles se interessem, espontaneamente, pelos conteúdos apresentados?

São muitos os fatores que interferem nas possíveis respostas para essas questões. Elaborar um plano de aula efetivo, certamente, está entre eles. Contudo, é possível incluir os estudantes nos conteúdos abordados com um bom planejamento? A resposta é: sim!

Continue a leitura para conferir 3 dicas sobre como elaborar um plano de aula eficaz e tenha sucesso nas suas classes!

1. Organize-se

Parece uma recomendação ingênua, mas não é! Montar um plano envolve organização e estratégia, certo? Portanto, dedique-se a fazer anotações pertinentes à aula em questão. Escreva, em um caderno, fatores como:

  • tempo de duração;
  • ordem dentro do cronograma (bimestre, semestre etc.);
  • objetivos gerais e específicos pretendidos;
  • conteúdo a ser trabalhado;
  • forma como ele será explorado;
  • bibliografia utilizada e/ou sugerida;
  • recursos (tecnológicos ou não) necessários;
  • maneiras de avaliar o que foi apresentado.

​Dividindo os tópicos, você terá uma maior clareza estrutural em relação à classe. Aos poucos, será possível, na própria elaboração, ter novas ideias ligadas a cada um dos elementos.

Fazer essa medida é extremamente útil caso você coordene muitos conteúdos distintos ao mesmo tempo. Com o tempo, ter tudo isso documentado também ajudará na autoavaliação.

Outra vantagem é já possuir uma base para quando surgir a necessidade de trabalhar com o mesmo tema novamente. Afinal, será incrível poder revisar e aprimorar os métodos que você utilizou.

2. Utilize a criatividade

Embora os registros sirvam como guias, não é recomendado que você se prenda a eles. A flexibilidade é um requisito muito importante, não só dentro como fora de sala.

Sendo assim, prepare alternativas para seus planos. Se algo não der certo, tenha uma carta na manga para contornar a situação e expor o que você deseja com eficácia.

Ter criatividade para elaborar uma aula é incluir metodologias diferenciadas, que saiam do clichê expositivo. Por isso, experimente mesclar alguns componentes não tão tradicionais:

  • passe um filme ou documentário sempre que achar viável;
  • estimule o debate saudável e construtivo entre os alunos;
  • faça o uso contextual da tecnologia;
  • proponha atividades práticas, sejam elas individuais ou em grupo;
  • faça pequenas pausas no assunto principal para falar sobre temáticas descontraídas ou relatar curiosidades;
  • aposte na interdisciplinaridade;
  • use aspectos lúdicos, como pequenos jogos e dinâmicas, para levar à reflexão.

3. Coloque-se no lugar do aluno

Antes de decidir como estruturar determinado conteúdo, pense em como você gostaria que aquele assunto fosse apresentado a você.

Fazer esse exercício constantemente ajuda a escolher quais das estratégias listadas acima usar. Você precisa, é claro, conhecer bem seus alunos, além de saber quais objetivos eles têm com o curso em questão.

Dessa forma, será possível escolher as melhores variações para aplicar no roteiro de aulas, fazendo com que elas não fiquem maçantes e se ajustem às necessidades dos discentes.

Saber como elaborar um plano de aula está intimamente ligado ao quanto você se atualiza enquanto docente. Não deixe de buscar por inovações e aprimoramentos!

Quer receber outras dicas e novidades diretamente em seu e-mail? Assine a nossa newsletter!

Como prender a atenção do aluno em sala de aula?

Num mundo ideal, lecionar deveria ser uma troca contínua de ideias entre docentes e discentes. No mundo real, porém, esse fluxo é menos contínuo. Os estudantes se distraem facilmente e os professores passam boa parte da aula tentando despertar o interesse da turma e canalizar sua atenção para a matéria ensinada. Essa dinâmica é familiar para você? Então, que tal conhecer algumas técnicas de como prender a atenção do aluno em sala de aula?

Sabemos que todo professor tem suas maneiras de lidar com os pupilos e de incentivar sua concentração e dedicação. Contudo, é sempre bom ter na manga novas estratégias.

Sendo assim, nós te convidamos a acompanhar algumas dicas e a conhecer novas abordagens para cativar seus alunos. Vamos lá?

Interrompa o fluxo de distração

Para o ser humano, qualquer coisa pode servir de distração: uma piada, um barulho, uma risada, uma notificação no celular ou um comentário feito pelo colega. E uma vez que o ciclo de conversas paralelas está estabelecido, a tendência é permanecer assim. Por isso, é preciso achar uma forma de interromper esse ciclo, impedindo que ele vire o padrão.

Como? Da forma mais criativa possível! Cantarolar uma canção, repetir um verso de um poema que destoe do que você estava ensinando, dar um pulo, correr pela sala — tudo vale para quebrar o fluxo da dispersão. Enquanto seus alunos estiverem tentando entender o que aconteceu, é seu momento de resgatar sua atenção.

Faça da tecnologia uma aliada

Smartphones chegaram para ficar. Por que lutar contra essa tendência se você pode empregá-la para tornar sua aula mais interessante? Canalize a atração que esses dispositivos exercem sobre crianças e adolescentes para atividades educativas, mas tenha em mente que eles representam uma metodologia de passar conteúdo e não um objetivo final.

A utilização da tecnologia precisa obedecer a um propósito. Por exemplo, estamos aprendendo sobre a Revolução Francesa. Por que não promover quizzes e desafios pelo Whatsapp para respondê-los em sala de aula?

Priorize questionamentos 

Faça com que seus alunos aprendam a refletir. Na hora da conversa paralela, lance questionamentos que exijam reflexão! Lembre-se de que questionamentos são muito mais efetivos na comunicação de uma ideia do que afirmações, especialmente quando o assunto é abstrato e não tem uma aplicação imediata no dia a dia do estudante.

Seja democrático e deixe-os escolher entre atividades e opções de projetos de pesquisa. Permita que eles construam seu conhecimento em vez de entregar todas as respostas prontas. O aluno precisa tomar uma postura ativa e não passiva em sua aprendizagem.

Invista em saídas de campo 

Priorize projetos em que os alunos poderão aplicar o que aprenderam. Uma visita ao museu, ao cinema, uma saída de campo, uma dinâmica de grupo no jardim da escola, por exemplo, são ótimas maneiras de engajá-los a associar conceitos teóricos e assuntos remotos com situações e objetos concretos.

Para que uma aula, um bimestre ou uma disciplina flua bem, é preciso que professores e alunos estejam engajados e se dediquem a evoluir e a se adaptar. Sempre que você estiver matutando sobre como prender a atenção do aluno em sala de aula, lembre-se de ser criativo e democrático e de compartilhar com eles a responsabilidade por seu aprendizado.

Nossas dicas serviram de inspiração para sua prática diária? Que bom! Assine, então, a nossa newsletter e acompanhe outras publicações e novidades!