Sala de aula: 7 dicas de ensino para diferentes perfis de alunos!

Os professores lidam constantemente com turmas repletas de alunos com  personalidades e maneiras de aprender distintas. Com isso, eles acabam se deparando com um grande desafio: encontrar o método ideal de ensino.

Isso porque os alunos não podem e não devem ser submetidos à mesma didática, visto que essa prática, por vezes, desconsidera as habilidades e interesses do educando individualmente.

Contudo, como contemplar os diferentes perfis de alunos? A solução para essa questão se encontra na diferenciação — método de ensino elaborado para englobar todos os estudantes no processo de ensino-aprendizagem.

Quer saber como esse método pode ser colocado em prática? Então confira, a seguir, as sete dicas que listamos para que você revolucione a sua maneira de lecionar. Boa leitura! 

1. Respeite o ritmo de aprendizagem dos discentes

Cada indivíduo apresenta um ritmo distinto durante o processo de aprendizagem. Da mesma forma que uma criança pode falar e andar precoce ou tardiamente em relação às outras da mesma idade, um adolescente pode aprender química mais rapidamente ou de forma lenta quando comparado aos outros estudantes da mesma classe, por exemplo.

Para ultrapassar esse obstáculo, sugerimos que o professor elabore um planejamento de aula que tenha como objetivo contemplar todos os alunos, considerando suas habilidades e deficiências. A escola é um ambiente em que crianças e adolescentes devem ser tratados com igualdade, tendo direito às mesmas oportunidades.

Para que isso ocorra na prática, o ensino deve ser aplicado de forma diferenciada na sala de aula. Assim, ao trabalhar com uma turma composta por alunos com diferentes ritmos de aprendizagem, o ideal é que o docente aplique atividades considerando as competências dos alunos com ritmo mais lento, facilitando o processo e, naturalmente, melhorando o desempenho de cada um deles.

2. Utilize problemas cotidianos na sala de aula

O desenvolvimento de um estudante está estritamente ligado ao ambiente em que ele está inserido, à sua cultura e, principalmente, à forma como a família se relaciona com ele.

Por isso, é necessário conhecer a realidade dos alunos e trazer para a sala de aula os problemas com os quais eles têm familiaridade. Dessa forma, o ensino se aproximará das experiências cotidianas de cada um deles e a motivação será imediata.

Uma maneira de fazer isso é promover uma investigação dos problemas que eles enfrentam onde residem e usar algum deles em um projeto escolar que englobe outras disciplinas.

Embora essa prática dê um trabalho a mais para o educador, ela tem um efeito positivo, já que os alunos podem utilizar um único projeto de diversas formas em várias matérias, contribuindo para a ampliação do conhecimento em curto espaço de tempo de maneira bem mais prazerosa. 

3. Estimule os feedbacks sobre as aulas

O feedback dos alunos é de suma importância para o professor, pois lhe garante uma análise crítica do seu trabalho, permitindo que ele:

  • observe como a turma está assimilando o conteúdo;
  • verifique de perto a dificuldade individual de cada aluno;
  • mude a metodologia de ensino caso seja necessário;
  • adapte o material didático e o planejamento da aula. 

Desse modo, o docente pode realizar rearranjos de modo a melhorar a apreensão do conteúdo pela turma, além de ficar mais próximo do educando, tornando-se sensível às suas dificuldades e necessidades.

4. Estabeleça uma relação de confiança com os alunos

Para contornar os desafios que surgem na sala de aula, o educador precisa estabelecer uma relação de confiança com os alunos. Isso é porque esse sentimento costuma deixar os alunos mais interessados e, consequentemente, motiva o professor a aprimorar a sua didática. 

Para colocar isso em prática, é preciso começar pela transparência quanto aos critérios avaliativos. Dessa forma, os discentes saberão o que devem esperar com relação às notas e ao desempenho de forma geral. 

Vale lembrar, também, que o professor deve criar um ambiente acolhedor para o aluno, onde qualquer questionamento seja bem recebido. Assim, eles se sentirão confortáveis para se expressar livremente, o que contribui para uma boa performance durante o período letivo.

5. Fortaleça o relacionamento entre os alunos

O fortalecimento da relação entre alunos é muito importante no contexto escolar, pois possibilita que os educandos mais tímidos se socializem com o restante da turma. Esse processo não só torna o ambiente educacional mais agradável como também impacta positivamente no desenvolvimento e na aprendizagem. 

Para proporcionar um ambiente escolar assim, é imprescindível que haja mais interação. Nesse sentido, é necessário que os professores ofereçam atividades extracurriculares, como:

  • grupos de debates;
  • atividades culturais e artísticas;
  • práticas esportivas;
  • oficinas.

Desse modo, os educadores não só proporcionarão a socialização, como também auxiliarão as crianças e adolescentes na construção do autoconhecimento, fundamental para que eles sejam capazes de realizar boas escolhas no futuro.

6. Utilize o reforço positivo

O reforço positivo é uma das técnicas mais eficazes para auxiliar os alunos no processo de ensino-aprendizagem. Essa técnica consiste no estímulo à frequência de uma resposta, aumentando a probabilidade de que determinado comportamento volte a acontecer. 

Para colocar em prática o reforço positivo e estimular a aprendizagem do estudante, o docente deve:

  • estar atento às dúvidas dos alunos;
  • reconhecer a participação em sala de aula;
  • valorizar as pequenas conquistas de cada discente. 

Vale ressaltar que o professor deve tomar cuidado quando precisar dar um feedback desfavorável a algum aluno publicamente. Ser um bom professor não está relacionado somente a lecionar o conteúdo com maestria, mas a ser, de fato, um educador.

Não basta que o docente prepare os estudantes para as provas ou para o vestibular, é preciso que ele seja empático com as possíveis deficiências do aluno e comprometido com a aprendizagem.

Somente assim ele será capaz de produzir uma influência significativa na formação do aluno como cidadão consciente de suas responsabilidades. 

7. Invista na especialização

Quando se é professor, é fundamental investir na especialização. A educação precisa acompanhar os avanços e as mudanças na sociedade, mas sem profissionais qualificados isso não é possível.

Investindo em cursos e especializações, os educadores atuam melhor na sua área, visto que aprendem novos métodos de ensino, levando o melhor para os discentes e tendo chances de conquistar melhores salários.

Além disso, é importante ressaltar que o educador que se qualifica constantemente consegue lidar melhor com questões cotidianas dentro do ambiente educacional, como racismo, transtornos de déficit de atenção, dislexia e bullying. Isso é porque ele está atualizado e bem preparado para dar o suporte necessário aos estudantes nos momentos mais delicados de sua formação.

Gostou das nossas dicas de ensino para diferentes perfis de alunos? Então, acesse o post sobre o que o professor pode fazer para melhorar o desempenho dos alunos para aprender novas estratégias e impactar ainda mais a aprendizagem dos educandos! 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"